Close

07/12/2016

Sobre a raiva

A grande dificuldade em usar esse sentimento como combustível aparece ao nos depararmos com uma das suas principais caraterísticas: o bloqueio do processo de pensar. Quando sinto raiva, esqueço totalmente o meu objetivo, o porquê de estar ali e o que quero conseguir. E, por isso, demonstro-a agredindo aquele que me colocou em perigo. Ela foi usada, então, como forma de poder e controle, com a intenção de fazer mal, constranger e rebaixar o outro. A pessoa agressiva está cega e não enxerga o outro. Percebemos, assim, que o sentimento de raiva não é um problema. O problema é o que fazemos com ele.

 

Podemos escolher novos caminhos, aprender a manejar esses sentimentos e, assim, desenvolvemos novas habilidades. Conversar, por exemplo, é uma habilidade que pode ser desenvolvida. No entanto, esse treinamento requer disponibilidade, uma abertura a novas formas de pensar e agir diferente do que aprendemos desde pequenos. Depois que tomamos consciência de que tudo é consequência do que vivemos e aprendemos, temos liberdade para escolher nosso posicionamento.